sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Up - Altas Aventuras (também para os adultos!)

Cada vez mais a indústria cinematrográfica têm investido nas animações (principalmente em 3D), vide Coraline, A Era do Gelo 3, Up - Altas Aventuras, Tá Chovendo Hambúrguer, todos lançados este ano. E pensa que o gênero é só para agradar crianças? Não mesmo! Afinal, via de regra, crianças não vão sozinhas ao cinema e seus acompanhantes merecem um agradinho. Digo isso, porque tenho assistido muitas animações ultimamente e tenho percebido que além das piadas que arrancam gargalhadas das crianças, alguns filmes apresentam uma mensagem que vai além do mundinho infantil. E quero falar especificamente do Up - Altas Aventuras (Pixar, 2009).

Quem vai ao cinema destinado a assistir uma animação, vai preparado para 1 hora e meia de diversão e risadas. Mas é totalmente surpreendido se percebe-se completamente envolvido pela emoção da história e se ao invés de risadas, brotam lágrimas. É isso que acontece em Up - Altas Aventuras. Dirigido por Peter Docter, o desenho animado conta uma bela história de amor, companheirismo, tempo e perda.

Carl Fredricksen, o personagem central, com 78 anos, se vê completamente sem chão ao perder sua amada esposa, Ellie, e estar prestes a ser internado em um asilo, tendo que abandonar a antiga casa em que sempre viveu com Ellie. Sem qualquer perspectiva de felicidade, torna-se um velhinho amargo e ranzinza. Eis que decide prender sua casa a milhares de balões e fugir voando (não sei por que, mas isso me lembra um padre brasileiro) até uma floresta da América do Sul. Acaba levando junto, por engano, Russell, um escoteiro de 8 anos. Sem querer, acaba aprendendo com o menino que a vida é para ser aproveitada enquanto dure e que a felicidade depende da vontade de cada um.

É por isso que Up vai além da diversão para crianças, pois sua mensagem atinge em cheio os adultos. Principalmente aqueles que vão deixando as tristezas e amarguras tomarem conta da vida, tornando-á uma rotina sem graça. Up nos faz lembrar do brilho da vida que surge quando somos crianças e que não pode ser apagado por decepções com as quais nos deparamos de vez em quando. Está mais do que recomendado: emociona, contagia e diverte.

2 comentários:

Gabi Fofonka disse...

Liiiisi
tu viu que legal?? "já pensou em ser repórter ou escritora??"

auhauha
que máximo!!

aaah nesse finde eu vi A era do Gelo 3..
adoooro desenhos, e até chorei quando o Nemo encontrou o pai! :(

viu? eu sou totalmente sem controle!
hehehehee

† Klaus † disse...

Bahhh!! Esse filme é muito!
Muito emocionante. Triste. Engraçado. Tem de tudo!

Pra mim foi a melhor animação do ano!

Muito rox!

Eu também recomendo!

Beijos, Lisi!