segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Natal, Ano Novo e Afins


E não é que chegou o natal!? Muito se discute sobre o consumismo que ele gera. Mas eu gosto desta época do ano. Primeiro porque gosto de quebrar a rotina, confraternizações, amigo secreto, casas e ruas enfeitadas, tudo fica mais alegre. Mas além disso, nossos sentimentos ficam mais notáveis. É uma oportunidade de reflexão e autoavaliação. As pessoas ficam mais unidas, sensíveis, atentas aos outros e até mais solidárias.
Logo em seguida do natal, vem o ano novo, claro. Estas datas tinham mesmo que estar atreladas. Pois, ao mesmo tempo que ficamos mais reflexivos, uma retrospectiva do ano é inevitável. Assim, temos mais lucidez para traçarmos novas metas. Metas são essenciais. Acredito que sem metas ninguém sai do lugar. Tudo isso propicia uma repaginada de nós mesmos, fato indispensável para nossa existência. Até porque, como como já disse Érico Veríssimom em O Arquipélago, o ser humano está em constante devir. Nada mais justo do que, em alguns momentos, parar para se reanalisar, rever, repensar.
Não acho que essas coisas devam acontecer somente nessa época do ano. Mas é um bom começo.

2 comentários:

Am.P. disse...

Mas ah! Filósofa! Gostei do texto! Vou te confessar um negócio... Cê sabe que não sou muito chegada a Natais nem Ano Novo... Mas esse ano foi massa! Eu curti o Natal!
E tu? Como vai as férias??? Pô, nem pra me mandar um "foda-se Linkin Park", né! Só te perdôo porque eu tb sumi, hehe!
Tô lendo um livro de literatura aqui e curtindo meus manos. Aprendendo a gostar de férias... Beijos!

Lisi disse...

Ôh, Amandinha, não leva a mal, não mandei um "foda-se Linkin Park" pra ninguém. Mas estou com saudades.
Que bom que está aproveitando as férias, eu também estou!
Qualquer hora te ligou pra te mandar um foda-se Linkin Park, hehehe!

Beijos!!